Azeite português - Para Si

Gordura de eleição na dieta mediterrânica, o azeite é benéfico para a saúde e muito agradável ao paladar. É o produto que não pode faltar numa mesa portuguesa. E, claro, com um bom pão para molhar no azeite.

Existem vários tipos de azeite?

Acidez

De facto, o azeite não é todo igual – em cor, brilho, odor, sabor e textura. Azeites há muitos e as diferenças entre eles advêm de fatores físico-químicos e sensoriais. Um dos fatores físico-químicos mais relevantes é a sua acidez, que não se relaciona diretamente com o seu sabor, mas sim com a sua digestibilidade. O azeite virgem extra tem um grau de acidez inferior a 0,8% e o azeite virgem um grau de acidez inferior a 2%.

O azeite é uma gordura ideal para frituras por ser resistente a altas temperaturas e por ter um ponto de fumo elevado que permite um maior número de utilizações. No entanto, devem ser evitadas temperaturas demasiado altas, acima do seu ponto de fumo – máximo 200ºC. Independentemente da sua classificação e do grau de acidez, o azeite pode ser usado de variadas formas na confeção e tempero de vários pratos, sendo que a sua utilização ideal depende das suas características sensoriais.

Sabor

Relativamente ao seu sabor, o azeite pode apresentar sabores mais adocicados ou suaves, amargos ou até picantes. Azeites mais doces e suaves são ideais para pratos delicados como peixe grelhado ou saladas. Já os azeites mais amargos e picantes devem ser usados para contrastar sabores em pratos como carne grelhada e carne assada ou bacalhau. São opções que combinam bem com chocolate ou sobremesas, pois existe um contraste com os sabores doces.

Aroma

Quanto aos seus aromas, inúmeros atributos podem ser encontrados, como erva fresca, tomate, frutos secos ou maçã. Todas estas características devem ser tidas em conta quando escolher o azeite ideal para o seu prato, como se de um vinho se tratasse.

Quais os benefícios do azeite?

O azeite é uma das gorduras mais saudáveis e aquela que quase nunca falta em casa dos portugueses. Até porque, é um facto, temos alguns dos melhores azeites do mundo. Na dieta mediterrânica classificam-no como gordura de eleição, mas nem por isso o azeite deve ser consumido em excesso, uma vez que não deixa de ser uma gordura.

As razões para privilegiarmos o azeite são várias:

  • É uma gordura monoinsaturada, o que se relaciona com uma redução significativa do risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares;
  • Apresenta capacidade antioxidante, pela presença de vitamina E, carotenoides e compostos fenólicos;
  • É uma gordura associada à melhoria da capacidade cognitiva e à redução do risco de doenças neurodegenerativas.

O azeite deve fazer parte de uma alimentação saudável. Na verdade, é imprescindível para a nossa saúde em quantidades adequadas e combinado com outros alimentos. Deste modo, incorpore este produto de elevado valor nutricional na sua rotina alimentar. Para além do sabor único que confere aos pratos, é uma das fontes de lípidos mais saudável que existem.

Confira também outros artigos sobre o tema da alimentação e partilhe-os com aqueles que lhe são mais próximos.